quem são?

26 fev

Não sei vocês, mas às vezes eu tenho umas “loucuras”… Umas vontades de comer o que não está na geladeira (e talvez nem exista);  de escrever;  de ouvir uma música tão velha, que talvez ela nem seja da sua época; sair sem rumo, nem que seja só para dar a volta na quadra;  fugir de casa, mas voltar pro almoço;  coisas assim…

Então, eu tenho isso.

Ao ligar o computador me deparei com uma linda foto no meu desktop. Até que parei para pensar que “‘as pessoas daquela foto não estão/são mais assim…”. Então “quem são?”

Não sei se há um pingo de coerência no que digo, mas acredito não ser a única que as vezes não se reconhece. Que olha uma foto antiga e pensa “Cruzes! Eu era assim?!”, ou independente do que pensar que perceba que o tempo passou e que aquela figurinha mudou por fora, e por dentro.

Os dias andam tumultuados na minha cabeça. Como se a minha mente fosse meu pior vilão, roubando a cada instante desde minhas ideias até a liberdade… Enquanto isso  fico naquela brincadeira de “vou, não vou”  e, por fim, não saio do lugar.

Mas voltando a imagem que vi:  sorrisos tão brilhantes, olhares satisfeito da liberdade e cheios de amor, abraços de cumplicidade..  E hoje, tenho sentido algumas coisas diferentes, é como se aquilo que existia naquele instante (gravado, por alegria) estivesse tão fora de mim, tão distante.. Como se o sorriso fosse de outra pessoa, como se aquelas pessoas nem fizessem parte de mim.

Sempre achei um excesso de poesia quando alguém dizia que uma pessoa tinha “uma pedra no lugar do coração“. Mas se pararmos pra pensar (só alguns segundos..) às vezes somos tão insensíveis, irracionais, frios, distantes, vazios… como se realmente algo pesasse em nós…

Mas sim, é preciso crer em algo para o calor da alma voltar.. É preciso rever, é preciso ter calma.. E nossa! como isso demora.

Mas vamos tentando, sabemos que temos sempre um ombro amigo (mesmo que nem sempre queiramos nos apoiar) e vamos seguindo em sempre..

Afinal, mesmo quando o tempo não parece passar, ele voa e, nos leva e,o mínimo, que podemos fazer é desfrutar dele, do melhor jeito que conseguimos, à nossa maneira…

Mesmo sem forças tentando nos agarrar, com o que nos resta, buscando alcançar o que queremos.. Mudando o rumo de nossa vida, porém buscando o melhor, sempre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: