vertigem poética

12 nov

queria chorar um pouquinho

de mansinho debulhar

todas as dores derramar

 

 

 

queria combinar contigo

que nós combinássemos

até as roupas lembrariam

a força de nossa sintonia

 

 

 

queria me esconder

aqui, dentro de mim

saindo de mansinho do centro

adentrando, me empurrando pra dentro

 

 

 

tirar essas mágoas

as quais me corrompem pelas beiradas

se mexem dentro de mim

reviram,  voltam e me levam a nada

 

 

eu não tenho nada para você jogar

não consigo mais querer ser brinquedo

um simples marionete

que finge não ter mais medo

 

 

 

 

desafiei meus planos, meus desejos, meus sentidos

andei em círculos, fiquei tão perdida

mudei o foco, mais distante ficou

segui em frente, corri, fugia, mas estava de fato sem saída

 

 

 

eu só queria chorar um pouquinho

lembrar da falta que eu me fiz

que nós éramos uno

e quando eu era eu mesma, eu era mais feliz.

 

 

 

fujo de mim

fujo das palavras

entôo baladas

busco melancolia pra expressar

o que na verdade eu não sei falar

mal sei que existiu

rodam tantas vertigens

 

 

 

 

fugi pro outro lado

não sei o que faço.

 

me perdi aqui dentro.

não mais me encontro.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: