Tag Archives: amizade

Elas…

4 fev

Quando entre tantas lágrimas surge um sorriso, tenha certeza: elas passaram por ali.

Aquele abraço apertado na entrada e na saída que faz a total diferença no fim do seu dia: quem o deu? Ah, elas.

Elas sabiam como você estava. Elas ouviram na sua voz trêmula, no seu digitar impaciente… Elas sentiram.

Você achava que ninguém conhecia você tão bem assim. Mas elas te leem.No teu silêncio elas escutam o borbulhar da tua mente. Reconhecem quando tu só estás de corpo presente. Elas te sentem.

Já foram ditas anjas, enviadas pra te ajudarem. Sim, elas também te guiam. No simples “segurar a mão”, elas te puxam de volta pra realidade. “Não, querida, você não vai cair de novo.” Elas estão ali.

Tudo parecendo tão escuro e o sorriso que elas carregam traz um brilho tão radiante que parece cegar.

Sim, elas tem suas dificuldades, suas diferenças, seus problemas… Mas sentem quando uma entre elas fraqueja. Afinal, são todas fortes. Erguem a cabeça todos os dias e encaram mais uma rodada dessa vida louca que deram a elas.

“Como seria complicado sem elas.” É o que você pensa. E sabe de uma coisa? Você tem razão! O que seria dessa sua vida sem os abraços delas, sem os sorrisos, sem a preocupação que elas emanam uma entre as outras? Não…não só a vida não faria sentido…A vida não seria de forma alguma a mesma!

E simplesmente, todas juntas se entendem. O quebra-cabeça aos poucos vai se montando e formando uma bela figura, porque você sabe que elas são as peças que completam quem de fato você é. E,tenho que te informar, elas sempre farão. Pois é assim que a vida é: elas chegaram, sem pedir licença, acharam seu cantinho e o encheram de graça, de luz, de amor e cooperação. Na verdade, não precisava nem ter pedido licença, pois no fim, o bem que fazem não se compara a esse pequeno ato.

Ah, elas! O que seria da vida sem elas? A ligação no meio da noite, a palavra reconfortante, o abraço consolador, o sorriso que encoraja….

Agradeça! Elas são raras! São únicas! Diamantes perfeitamente lapidados por suas vivências e histórias. E quer saber o melhor? Fazem parte da sua história.

Imagem

Muito obrigada, minhas amigas! Sem vocês meu dia não seria o mesmo!

Eu as amo muito, minhas meninas!

Marilza, Mariana, Luzia, Sheila, Andressa, Jessica, Cristina, Cristiane, Ciceli, Ana Luísa, Bruna,  Monique, Leici, Inti.

https://www.youtube.com/watch?v=gvH9Ccqk5qc

Anúncios

Oquidão

3 out

Bem, há dias tenho pensado (e só pensado) em atualizar, mas é aquela velha desculpa do “sabe como é… tenho muitas coisas para fazer.. uma hora vou te visitar… blá-blá-blá” e nunca nada acontece. Mas eu andei pensando há dias no que escrever aqui. E até criei um neologismo pra dar nome a esse texto:  “Oquidão”, do meu dicionário, que deriva de oco,  vazio, sem nada (como tem rouquidão, agora tem a “oquidão”).

Inicialmente, eu ia falar sobre o vazio das pessoas, o sorriso convencional, o brilho inexistente, o anseio por desistir, a vontade do egocentrismo, a “oquidão” das relações, de forma generalizada…

No entanto, devido aos acontecimentos dessa semana, senti uma necessidade maior de falar sobre as pessoas. O vazio que elas nos deixam, o quanto algumas relações não possuem “oquidão” e como nós ficamos com esse sentimento quando elas se vão.

No decorrer desse ano tive perdas, como muitas pessoas tem em suas vidas. Perdi familiares, vi a família se dividir…Perdas de várias formas, mas como já escreveria um livro, Lya Luft chama de “Perdas & Ganhos” (um ótimo livro, por falar nisso, recomendo!).

Essa semana vi alguém ao qual amo e admiro muito sentir, novamente, a dor da perda. Minha pudim, amiga de sempre, de fé, a quem mencionei no outro post, até. Não vou expor ela, mencionar nomes, nada… Cada um sabe de si, acho que não é o momento disso, só. Enfim, vi minha melhor amiga, a  pessoa que, mesmo não vendo mais com tanta frequência, sentir dor. Senti mais dor ainda. Você perder alguém/algo, parece que é superável. Mas ver quem você ama perder, parece que dói mais, pois você não tem como mudar. Afinal é a vida.

Queria apenas falar do vazio que as pessoas nos deixam quando partem, do quão bom é viver a vida, aproveitar as pessoas mais velhas e sua sabedoria, aproveitar as mais novas e aprender com sua vivacidade. Saber viver, entender as relações, entender que o mundo não é só o que vemos, é mais do que tudo isso, é um circuito de relações, um fluxo imenso de emoções, são vidas, pensamentos… As lembranças em nós são o mais importante e devemos (não, nesse caso não “podemos”, DEVEMOS!) aproveitar intensamente tudo! Sei que isso aparenta papo de fim de mundo e tudo mais, “viva hoje como se não houvesse amanhã”, mas é praticamente isso. Quando as pessoas falam que a vida é curta e passa rápido, mesmo que se tenha quase 90 anos, é verdade. Há muito o que se fazer e nunca vai parecer o bastante tudo o que já fizemos. Mas deixo a mensagem: “vale a pena tentar”. Cada um do seu jeito, seja quieto ou extremamente extrovertido, cada um sabe a forma de agir; o essencial é não deixar a vida passar, é não sentir o tempo escapar entre os dedos e não aproveitar, simplesmente isso. A vida é  feita de momentos.

Desejo a todos uma boa semana, uma reflexão sobre a vida e que vivam! (não apenas existam!)

Para não deixar o silêncio das palavras, uma simples e adorável música:

Amor, amor, amor…

27 set

E o que é o amor ao fim de tudo?

Mais uma imagem de coração? As rosas vermelhas na porta? As fotos? Os presentes? …

Pois te digo que não. Mesmo que através dos presentes entreguemos parte nossa pra pessoa amada olhar e recordar, pensar naquele momento lindo das fotos, do cheiro gostoso das flores… Mas, não. Por mais que eu mesma caia nessa “tentação”; nesses atos irresistíveis de dar algo mais além de si, algo tão sólido, que, literalmente, a pessoa possa pegar.

 Hoje, mais do que nunca, sei o que é amor (ou ao menos, começo a perceber melhor).

É calor, amizade, utopia, desejos, projetos, é pura vida, vidas em sintonia rumando um mesmo ideal.

É lua cheia, quando juntos; lua minguante solitária, quando distantes; é céu eternamente estrelado; dia de sol; primavera calorosa.

Amar é viver em outro mundo. Onde não há tantos problemas (afinal, eles nunca somem ‘-.-); onde alguém te entende de verdade (ou ao menos tenta). Amar é dizer tudo – e mais um pouco- e sentir que, além de aliviada, a outra pessoa está feliz em te ouvir.

Amas é ser piegas (a própria palavra é piegas -.-‘) e ter o maior estilo do mundo. É ter estabilidade, é conhecer onde pisa e pisar firmemente, mesmo sabendo que amar é loucura!

Amar não são os presentes que qualquer loja possa dar ou tudo que o dinheiro possa comprar. Pois o amor é algo simples.

Com a maior certeza digo: “Amor é presença“. É cumplicidade, respeito, sintonia, carinho, sinceridade, carisma, companheirismo, compreensão, amizade, conversa (muita conversa!), valorização, apoio, reconhecimento, é a presença mesmo distante, é a verdade da eternidade desconhecida, é o sonho, as pequenas realizações.

Amor é tudo que eu não sei explicar. Só sei sentir, só sei receber, só sei doar – e ainda acho pouco perto do muito que tenho.

Obrigada, pai, mãe e irmãos, por despertarem em mim a eterna faculdade de amar e por me darem, cada um a sua forma, amor.

Obrigada a todos os amigos, aos quais sempre amei verdadeiramente, sendo “novos” ou “velhos” amigos. Obrigada, especialmente, Arthur Lange e Sally Knevitz, por além de me deixarem amar vocês e serem grandes amigos, por apresentarem a minha metade da laranja.

Obrigada, especialmente, a você Gabriel Folha por me ensinares a amar; por me mostrares que esse sentimento é possível; e que, sim, existem recomeço; por me entender; me dares um espaço na tua vida; insistir em mim; por me amar (e fazer com que eu perceba o quão valioso é isso, todo dia). Este texto é especial para você (mas não completamente exclusivo! :P)

Não esqueça meu amor, nem um segundo, que eu te amo demais, eu te valorizo muito e quero sempre o teu bem, teu melhor.

Parabéns pelo nosso um ano de namoro!

 

 

26.09.2010